Estratégia de concessionárias surte efeito, e venda de carros aumenta 22% em maio

Para René Coutinho, da concessionária Divepe, promoções e manutenção de taxas baixas motivou reanimação de consumidores; em maio, foram 1.157 vendidos

 
Dados foram divulgados pela Fenabrave

Dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) mostram que a venda de veículos novos no país cresceu 16,77% no mês de maio, em relação ao mesmo período do ano passado. No mês passado, foram emplacadas 195.568 unidades, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

No Rio Grande do Norte, o bom resultado veio no número específico de venda de automóveis, com registro de alta de 22,18%. Tendo como referência o mês de abril, o dado é ainda mais surpreendente: crescimento de 48,71%.

Tiago Rebolo

Em maio, foram 1.157 veículos vendidos (entre automóveis e comerciais leves), ante 947 do mesmo período do ano passado. Em abril deste ano, apenas 778 foram comercializados. No ano inteiro, já foram 4.809 carros novos sendo emplacados no estado.

Os bons números são perceptíveis no mercado. De acordo com René Coutinho, gerente geral da concessionária Divepe Natal, de fato, houve uma melhora nas vendas. A explicação, na avaliação dele, é o fato de os consumidores e investidores estarem “separando” a política da economia. “As pessoas estão voltando às compras, separando a política da economia – que precisa girar. A perspectiva é que haja uma melhora e o mercado comece a voltar ao patamar de cerca de dois anos atrás”, afirma.

Segundo o empresário, além disso, o que motivou a retomada do consumo de automóveis foram as estratégias adotadas por montadoras e concessionárias, de fazer promoções e manter taxas. “As montadoras tiveram fizeram promoções. Os consumidores ficaram com medo da subida dos juros e correram para comprar. Nosso mercado é impactado pelo crédito. Então, a manutenção das taxas deu uma subida no mercado”, assinala.

Para René Coutinho, esse planejamento deve, inclusive, ser mantido, para que o setor continue em recuperação. “Em junho, haverá uma pequena queda, mas pela quantidade menor de dias úteis. Mas a estratégia é realmente manter uma taxa competitiva, pois não há espaço para aumento de preços”, registra.

O setor automobilístico deve adotar também, a partir de agora, medidas para alavancar a venda de outros tipos de veículos, além de automóveis e comerciais leves. Apesar do crescimento nas vendas desses tipos de veículos, o estado ainda apresenta baixa nas vendas de caminhões, ônibus e motocicletas – o que acabou puxando a contabilidade geral para baixo.

Enquanto a venda de automóveis e comerciais leves teve a já citada alta de 22,18%, segundo dados da Fenabrave, a venda de caminhões e ônibus teve queda de 64,71% em maio com relação ao mesmo período de 2016. O número de motos vendidas também foi menor: 399 em maio de 2017 ante 775 em 2016, queda de 48,52%.

 Fonte: http://agorarn.com.br/economia/estrategia-de-concessionarias-surte-efeito-e-venda-de-carros-aumenta-22-em-maio/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *